Adaptic

Trata-se de uma cobertura primária – curativo primário – não aderente, confeccionada com o intuito de proteger o leito das feridas. Há vários outros produtos com esse mesmo propósito.

Essa cobertura procura contemplar a ideia de que, não aderindo ao leito, temos:

  • Retirada não dolorosa por ocasião das trocas
  • Facilidade na remoção minimizando traumas ao leito
  • Proteção do leito contra desbridamento não seletivo
Adaptic
Apresentação comercial do Adaptic 7,6 x 7,6 (o menor tamanho)

O ADAPTICTM se apresenta no formato de malha de acetato de celulose impregnada com uma emulsão de petrolato (que é um derivado do petróleo). A título de curiosidade, a vaselina é comercializada a partir de alguns processamentos do petrolato.

Não cabe aqui a enorme discussão em torno do uso do petrolato em cosmetologia. A temática envolvida nesta celeuma não faz sentido, nem se aplica, no que diz respeito ao seu uso no tratamento das feridas crônicas.

Esse tipo de cobertura primária, utilizada de forma apropriada, apresenta outras vantagens importantes no tratamento das feridas crônicas, entre elas:

Pode ser cortada para se adequar ao tamanho e ao formato das feridas
Facilidade de acomodação em qualquer topografia da superfície corporal
Permite a passagem do exsudato que será conduzido para o curativo absortivo secundário
Não impede a difusão de elementos químicos contidos nos curativos secundários para o leito das feridas (tais como produtos antimicrobianos)
Reduz a possibilidade de aderência do curativo secundário
Pode ser utilizado sob terapia compressiva (tipo bandagem de UNNA)
  • Imagem 1 e 2 – Aplicação de IodosorbTM após a colocação do Adaptic sobre as feridas; as malhas da cobertura permitem a “entrega” do antimicrobiano para o leito das feridas
  • Imagem 3 – Uma cobertura secundária de carvão ativado com prata (ActisorbTM) foi aplicada sobre o Adaptic em uma úlcera venosa com moderado exsudato
  • Nos dois casos acima foi aplicada bandagem compressiva de UNNA sobre essas cobrturas
  • Na figura 4 mostramos a facilidade com que essa cobertura se amolda ao formato da topografia, neste caso coto de amputação transmetatarseana

Curativos antibacterianos ou antimicrobianos

Na literatura sobre o tema diz-se que ” curativos antibacterianos ou antimicrobianos são aqueles produtos ou coberturas que alteram a carga biológica do leito das feridas”.

Para efetivamente produzirem algum impacto na eliminação ou redução da população microbiana do leito das feridas, sem provocar danos locais, esses curativos precisam possuir algumas características, a saber:

Ferida infectada – antes

Ferida infectada – depois de curativo com SILVERCEL™ Antimicrobial Alginate Dressing
  • Amplo espectro de ação, com atividade antimicrobiana rápida e sustentável;
  • Convenientemente bactericida e não apenas bacteriostático;
  • Atóxicos, não alergênicos e compatíveis com a pele comprometida do entorno das feridas;
  • Sua ação não pode ser neutralizada pelo exsudato:
  • Capacidade de reduzir o mal odor proveniente dos tecidos infectados

Além de tudo – e isso se aplica a todos os produtos – sejam de fácil acesso e apresente um custo benefício que permita sua indicação e aquisição pela maioria dos que deles necessitam.

Variadas apresentações estão disponíveis no mercado. O elemento de “entrega” do antimicrobiano pode ser cobertura de espuma, gazes impregnadas, filmes, coberturas não aderentes, hidrogéis, alginatos, hidrofibras ou combinações de vários materiais. A finalidade é fazer com esses materiais liberem o agente antimicrobiano para a intimidade da ferida através do ambiente úmido, em concentrações eficazes e de forma sustentável num período apropriado de tempo.

Os agentes antimicrobianos mais comumente empregados são os compostos de prata, iodo ou polihexametilbiguanida (PHMB). A prata pode estar presentes em apresentações de espuma, hidrocoloide, cremes de barreira, carvão ativado, etc.

Principais aplicações: 

  • Podem ser usados como curativos primários ou secundários em situações em que o controle da infecção é determinante para a cicatrização;
  • Feridas agudas ou crônicas infectadas; aí podem ser incluídas queimaduras, incisões cirúrgicas, pé diabético, feridas por pressão, úlceras venosas e outras.
  • Em alguns formatos podem ser bastante úteis quando sob terapia compressiva, tipo bandagem de UNNA.

Contraindicações – pacientes alérgicos a qualquer um desses componentes.

Observação pertinente: levar em consideração as informações fornecidas por cada fabricante e se familiarizar com as possibilidades, indicações e características de cada produto.


Abaixo uma listagem dos produtos que podem ser encontrados e adquiridos – com as dificuldades de sempre – no mercado nacional.

AQUACEL® Ag – ConvaTec

ACTISORB™ Plus – 3M+KCI

Biatain® Ag Non-Adhesive Foam – Coloplast Corp.

IODOSORB* 0.9% Cadexomer Iodine – Smith+Nephew, Inc.

SILVERCEL™ Antimicrobial Alginate – 3M+KCI

Carvão ativado

Lemos na Wikipédia que o carvão ativado “é um material de carbono com porosidade bastante desenvolvida” e “tem a capacidade de coletar seletivamente gases, líquidos ou impurezas no interior dos seus poros, apresentando portanto um excelente poder de clarificação, desodorização e purificação de líquidos ou gases.” 

Continue Lendo “Carvão ativado”