Dedo nas feridas

amorim-self-P&B


Neste espaço desejamos divulgar e compartilhar informações que digam respeito às enfermidades, vasculares ou não, que evoluem com a formação de feridas cutâneas.

​Muito embora essas informações possam ser úteis aos profissionais de saúde, dentro do possível, tentaremos fazer uso de uma linguagem que possa ser também compreendida pelo público leigo interessado nas abordagens que aqui estaremos desenvolvendo ou comentando.

​Os constantes avanços no tratamento das feridas, bem como a volumosa quantidade de informações sobre as patologias que as geram, requerem do especialista atualização constante.

​De forma que estaremos atentos, dentro de nossas limitações, a tudo o que pode ajudar aos que se dedicam ao tema ou tenham por ele algum interesse.

​​Por suas próprias características, um espaço voltado para qualquer tipo de enfermidade é sempre um espaço em construção.

​Em DEDO NAS FERIDAS não poderia ser diferente. 

​Escolhemos intencionalmente esse nome para o nosso site porque entendemos que cuidar de feridas crônicas significa quase literalmente isto: por o dedo nas feridas.

​Em tempos de pandemia – COVID-19 – o distanciamento social tem se mostrado imperioso e eficaz. Entretando cuidar de feridas à distância nos impõe intransponíveis limitações. Tratar feridas por fotografia é, penso eu, uma quimera que só pode ser permitida como exceção e em situações extremas. As feridas exalam odores que precisam ser avaliados. As feridas desenvolvem tecidos que precisam ser eliminados. As feridas podem apresentar cavidades que devem ser exploradas. As feridas escondem segredos que precisam ser descobertos. Até porque, regra geral, a ferida não é a doença do paciente, é a forma como algumas enfermidades se manifestam e que precisam ser cuidadas.

​Por isso é fundamental que, mantidos os cuidados protocolares para evitar contaminar ou ser contaminado pelo novo coronavirus ou outros agentes pandêmicos que certamente surgirão, é indispensável o exame presencial do paciente portador de feridas.

Dr. José Amorim de Andrade

O que dizem e pensam

“É a falsa vergonha dos tolos tentar esconder
feridas que não cicatrizaram.”

Horace (BC 65-8) Poeta lírico romano

“O médico não deve tratar a doença, mas o paciente que sofre com ela.”

Maimonides

“É preciso fazer do paciente o centro de seu plano de cuidados, e não apenas a ferida.”

Anônimo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s